Allez au contenu, Allez à la navigation, Allez à la recherche, Change language

  • Applications
  • Tumblr
  • Instagram

Página inicial > Article

Cannes Classics 2016

Dia 20.04.2016 às 4:40 PM - Updated on 31.05.2016 at 4:46 PM

 Bertrand Tavernier © 2016 - Little Bear - Gaumont - Pathé Production


Bertrand Tavernier em estreia mundial, William Friedkin em conversa, uma celebração Cannes 1966, os 70 anos do prémio da Fipresci, Wiseman & Depardon, dois gigantes do cinema documentário, filmes desconhecidos provenientes de países raros, cinematecas de honra, Europa de Leste em força, documentários sobre o cinema, grandes filmes populares, cinema de géneros, ficção científica, comédia, animação, terror gótico, western: eis o Cannes Classics de 2016.

 

A maioria dos filmes apresentados vai estrear nas salas de cinema e em DVD/Blu-ray, e toda ou parte do programa Cannes Classics será repetida no cinema Les Fauvettes (Paris), no festival Cinema Ritrovato (Bolonha), no Institut Lumière (Lyon).

 


ESTREIA MUNDIAL DO DOCUMENTÁRIO DE BERTRAND TAVERNIER SOBRE CINEMA FRANCÊS


Voyage à travers le cinéma français de Bertrand Tavernier (2016, 3h15, França). 

 

“Este trabalho de cidadão e espião, explorador e pintor, cronista e aventureiro que tão bem descreveram inúmeros autores, de Casanova a Gilles Perrault, não seria uma bela definição da actividade de cineasta que pretendemos aplicar a Renoir, a Becker, a Vigo de Zéro de Conduite, a Duvivier de Pépé le Moko, assim como a Truffaut, Franju ou Demy. A Max Ophuls e também a Bresson. E a realizadores menos conhecido que na reviravolta de uma cena ou de um filme iluminam uma emoção, detectam verdades surpreendentes. Queria que este filme fosse um acto de gratidão para com todos os cineastas, argumentistas, actores e músicos que apareceram na minha vida. A memória aquece: este filme é um pedaço de lenha para as noites de Inverno”.

 

Uma co-produção Little Bear-Gaumont-Pathé, com a participação do CANAL+, do CINE+ e da SACEM. Com o apoio da Região Île-de-France, em parceria com o CNC. Vendas internacionais: Gaumont. Distribuição França: Pathé. O filme estreia no cinema em Outubro de 2016.  

 


A LIÇÃO DE CINEMA: WILLIAM FRIEDKIN

 

Na quarta-feira, dia 18 de Maio, William Friedkin dará a Lição de Cinema anual, animada pelo crítico Michel Ciment. Por outro lado, apresentará um filme surpresa restaurado na sala Buñuel e O Comboio do Medo (1977) no Cinéma de la Plage.
 

E o filme-surpresa será To Live and Die in L.A. (Viver e Morrer em Los Angeles) (1985) para a estreia mundial do restauro do filme!
Gestão do projecto de restauro de Viver e Morrer em Los Angeles (To Live and Die in L.A.) iniciado pela Arrow Films no Reino Unido. Negativo original 35mm digitalizado em 4K na Deluxe Media em Burbank e depois convertido em 2K para correcção colorimétrica supervisionada por William Friedkin e processo de restauro digital. Trabalho das cores e restauro realizado na Deluxe Restoration London e na Deluxe Culver City.

 

 

O Comboio do Medo é apresentado por La Rabbia. Restauro da Warner Bros, sob a supervisão de Ned Price, responsável pelos restauros Warner e William Friedkin. Digitalização 4 K a partir do negativo de 35mm. Restauro áudio a partir das 4 pistas estéreo 35mm por    Aaron Levy. Supervisão da calibragem por Bryan McMahan. Agradecimentos a Bob Finkelstein, Karen Magid, Craig Kornblau, Dan O’Rourke, Traci Caroll, Wallon Green e Bud Smith.

 

 

A DUPLA PALME D'OR DE 1966

 

A Batalha do Rail  abriu este miniciclo há alguns anos, continuando o Festival de Cannes a receber os restauros dos filmes laureados da Palme d’Or. Em 2016, regresso ao ano de 1966 e aos dois vencedores, Pietro Germi e Claude Lelouch, recompensados pelo júri presidido por Sophia Loren. 

 

Signore & signori (Senhoras e Cavalheiros) de Pietro Germi (1966, 2h, Itália/França)

Apresentado pela Cineteca di Bologna, Istituto Luce - Cinecittà, DEAR International. Restaurado da Cineteca di Bologna, Istituto Luce - Cinecittà e da DEAR International no laboratoire L’Immagine Ritrovata.


Um Homem e uma Mulher de Claude Lelouch (1966, 1h42, França)

Apresentado por Les Films 13. Restauro do laboratório Eclair em Vanves. Filme digitalizado e calibrado em 4K a partir do negativo original de 35mm a cor e preto e branco, na presença de Claude Lelouch, restaurado em digital e finalizado em 2K para o DCP. Som restaurado com base no suporte magnético 35mm original mono.

Restauro e digitalização com o apoio do CNC.

 

 

HOMENAGENS CRUZADAS A RAYMOND DEPARDON E FREDERICK WISEMAN

 

Faits divers de Raymond Depardon (1983, 1h30, França)

Apresentado pela Palmeraie et désert com o apoio do CNC. Negativo original digitalizado e restaurado imagem por imagem em 2K pela Eclair. Restauro e calibragem supervisionados pela Raymond Depardon que apresentará o filme.

 

• Hospital de Frederick Wiseman (1969, 1h24, Estados Unidos da América).
Apresentado pela Zipporah Films e pela Blaq Out em parceria com a Doc & Film e a UniversCiné, restauro de Hospital em cópia 35 mm pelo Library of Congress Audiovisual Conservation Center com base em negativos originais da colecção Zipporah Films.

 

De observar que Frederick Wiseman estará presente em Cannes e receberá nesta ocasião o Prémio Consécration de France Culture.

 

 

O PRIMEIRO PRÉMIO DA FIPRESCI, FARREBIQUE DE GEORGES ROUQUIER, POR OCASIÃO DOS 70 ANOS DO PRÉMIO DA FEDERAÇÃO INTERNACIONAL DA IMPRENSA CINEMATOGRÁFICA

 

• Farrebique de Georges Rouquier (1946, 1h27, França).
Apresentado por Les Documents Cinématographiques. Filme digitalizado e restaurado pela Eclair com o apoio do CNC. Restauro 2K realizado a partir do negativo nitrato e de um castanho nitrato. Coordenação e acompanhamento assegurados por Cristina Martin nos Documents Cinématographiques.

 

 

NOVE DOCUMENTÁRIOS SOBRE CINEMA

 

À semelhança de todos os anos, o Cannes Classics propõe documentários, uma forma de contar a história do cinema através do próprio cinema.  


• The Cinema Travellers de Shirley Abraham e Amit Madheshiya (2016, 1h36, Índia).
Apresentado e produzido pela Cave Pictures (Índia).
Retrato de um cinema itinerante na Índia que continua a levar a magia das imagens aos espectadores estupefactos e que tem de enfrentar as mudanças tecnológicas, numerosas e complexas, enquanto um reparador de projectores narra a sua visão da evolução do cinema com poesia, filosofia e pragmatismo.

 

• The Family Whistle de Michele Russo (2015, 1h05, Itália).
Apresentado pela American Zoetrope. Produzido pela Ulisse Cultural Association.
A família Coppola, a sua chegada à América, as suas ligações com a sua Itália natal e a sua relação com a música. Com múltiplas intervenções e casos engraçados cheios de malícia de um dos maiores clãs do cinema actual, dos quais Francis Coppola e Talia Shire. 

 

• Cinema Novo de Eryk Rocha (2016, 1h30, Brasil)
Apresentado pela FiGa Films. Produzido pela Aruac Filmes & Coqueirão Pictures, co-produzido pelo Canal Brasil & FM Produções.
Um ensaio fílmico, político e poético que evoca os grandes filmes do Cinema Novo. Numerosas entrevistas dos realizadores Nelson Pereira dos Santos, Glauber Rocha, Leon Hirszman, Joaquim Pedro de Andrade, Ruy Guerra, Walter Lima Jr. ou ainda de Paulo César Saraceni.

 

• Midnight Return: The Story of Billy Hayes and Turkey de Sally Sussman (2015, 1h39, Estados Unidos da América)
Apresentado e produzido pela Midnight Return LLC, em associação com a Old Forest Hill Productions, Inc.
O Expresso da Meia-Noite (1978) contado por quem o fez: o realizador Alan Parker, o argumentista Oliver Stone e o produtor David Puttnam. O filme evoca também a forma como a imagem da Turquia ficou afectada pelo filme e mostra como Billy Hayes, o verdadeiro “herói” da história, tenta lá voltar para reconstruir os laços quebrados.  


• Bright Lights: Starring Carrie Fisher and Debbie Reynolds de Alexis Bloom et Fisher Stevens (2016, 1h35, Estados Unidos da América)
Apresentado pela HBO Documentary Films, produzido pela HBO e pela RatPac Documentary Films.
A vida e a relação íntima de duas actrizes: Carrie Fisher, heroína de Star Wars, e da mãe, Debbie Reynolds, a lendária intérprete de Serenata à Chuva. A grande história e a pequena história. Um documentário terno sobre duas idades de ouro do cinema americano.

 

• Gentleman Rissient de Benoît Jacquot, Pascal Mérigeau e Guy Seligmann (2015, 1h17 minutos, França).
Apresentado e produzido pela SODAPERAGA e pela Ciné+ (Bruno Deloye).
Um retrato de Pierre Rissient, descobridor, adido de imprensa, produtor, realizador e embaixador incansável do cinema mundial.   


• Close encounters with Vilmos Zsigmond de Pierre Filmon (2016, 1h20, França)
Apresentado e produzido pela FastProd, pela Lost Films e pela Radiant Images com a participação da TCM Cinéma. Estreia nas salas de cinema francesas.
A vida do director de fotografia Vilmos Zsigmond, das ruas de Budapeste a Hollywood. Intervêm muitos artistas, dos quais John Travolta e Nancy Allen, e directores de fotografia famosos, que o questionam, fazendo-nos descobrir um artista completo.        

 

• Et La femme créa Hollywood (Women Who Run Hollywood) de Clara e Julia Kuperberg (2015, 52mn, França)
Apresentado e produzido pela Wichita Films e pelo OCS.
De Lois Weber a Mary Pickford e Dorothy Arzner, uma galeria de pioneiras apaixonantes que também criaram Hollywood. O ponto comum entre elas? Todas são mulheres e todas foram quase esquecidas.

 

• Bernadette Lafont et Dieu créa la femme libre de Esther Hoffenberg (2016, 65mn, França)
Apresentado e produzido pela ARTE France, pela Lapsus, pela Inthemood e pelo INA.
Um retrato de Bernadette Lafont, a actriz mais atípica do cinema francês, com as netas, os amigos Jean-Pierre Kalfon e Bulle Ogier, que evocam a sua cumplicidade artística e humana.

 

 

CÓPIAS RESTAURADAS

 

À semelhança de todos os anos, o Cannes Classics apresenta cerca de vinte cópias restauradas. Para esta edição, foi envidado um esforço particular para convidar países nunca seleccionados pelo seu trabalho patrimonial (Eslovénia, Suíça, Paquistão, República Checa, Cuba, Tailândia, Hungria, Polónia). Atenção, pérolas raras! Quanto ao resto, grandes clássicos, cinematecas e filmes que nos trazem novidades.  

  

• Die letzte Chance (A Última Esperança) de Leopold Lindtberg (1946, 1h53, Suíça)
Uma apresentação da Cinemateca suíça.
Restauro da Cinemateca suíça e da Schweizer Radio und Fernsehen (SRF), com o apoio da Memoriav, no laboratório Hiventy.


• Dolina Miru (Valley of Peace) de France Stiglic (1956, 1h30, Eslovénia)
Uma apresentação do Slovenian Film Centre.
Restauro de som e imagem 2K a partir de uma digitalização 4K de um interpositivo e de um internegativo do filme preto e branco em 35mm. Restauro sonoro a partir de um negativo som óptico 35mm. Restauro levado a cabo por Bojan Mastilović e Janez Ferlan, restauro sonoro por Matjaž Zdešar, calibragem por Janez Ferlan, na Iridium Film, Liubliana, supervisão pelos directores de fotografia e pelo realizador à frente do projecto: Lev Predan Kowarski, Rado Likon e Urša Menart.

 

• Ikarie XB 1 de Jindřich Polák (1963, 1h28, República Checa)
Uma apresentação do National Film Archive em Praga (NFA).
Restaurado em 4K pelo National Film Archive (NFA) no Hungarian Filmlab. Digitalização a partir dos negativos câmara e som originais preservados na NFA. Filme restaurado digitalmente no âmbito do projecto “Digital restoration of Czech film heritage”, apoiado por um empréstimo da Islândia, do Liechtenstein e da Noruega e co-financiado pelo ministério checo da Cultura, em parceria com a Biblioteca Nacional da Noruega e pelo CESNET.

 

• Jago hua savera (Day Shall Dawn) de Aaejay Kardar (1958, 1h34, Paquistão)
Uma apresentação da Nauman Taseer Foundation.
Restauro imagem e som pela Deluxe Restoration em Londres encomendado pelo Anjum Taseer a partir dos melhores elementos possíveis, tendo o negativo desaparecido.


• Memorias del subdesarrollo (Memórias do subdesenvolvimento) de Tomás Gutiérrez Alea (1968, 1h37, Cuba)
Uma apresentação do Instituto Cubano del Arte e Industria Cinematográficos (ICAIC), dos Films du Camélia e da Cineteca di Bologna. Restaurado pela Cineteca di Bologna/laboratório L’Immagine Ritrovata em associação com o Instituto Cubano del Arte e Industria Cinematográficos (ICAIC) e Les Films du Camélia. Restauro financiado pela George Lucas Family Foundation e pelo The Film Foundation’s World Cinema Project.

 

• Santi-Vina de Thavi Na Bangchang (1954, 1h56 Tailândia)
Uma apresentação da Film Archive (Public Organization) na Tailândia.
Material original considerado perdido e depois encontrado em 2014 no British Film Institut, bem como uma cópia de exploração no China Film Archive e no Gosfilmofond na Rússia. Digitalização 4K e restauro realizado a partir dos negativos imagem e som originais encontrados nos BFI. Restauro realizado no laboratório L’Immagine Ritrovata.


• Szerelem ((Amor) de Károly Makk (1971, 1h32, Hungria)
Uma apresentação do Hungarian National Film Fund e do Hungarian National Digital Film Archive and Film Institute (MaNDA).
Digitalização 4K e restauro a partir dos negativos 35mm originais. Digitalização e restauro sonoro a partir das bandas magnéticas de 35mm. Restauro realizado pela Focus-Fox Studio e pelo Hungarian Filmlab. Estreia brevemente nas salas de cinema francesas.


• Howards End (egresso a Howards End) de James Ivory (1992, 2h22, Reino Unido/Japão)
Uma apresentação da the Cohen Film Collection LLC.
Restauro digital a partir do negativo câmara original detido nos arquivos do George Eastman Museum realizado em 4K por Simon Lund do Cineric Portugal. Calibragem supervisionada pelo director de fotografia Tony Pierce-Roberts e pelo realizador James Ivory no Deluxe Restoration London (Steve Bearman, Mark Bonnici, Graham Jones). Restauro sonoro em 5.1 realizado por John Polito da Audio Mechanics (Burbank). Projecção feita na presença de James Ivory e da actriz Vanessa Redgrave.

 

• Decakolog 5 (Thou shalt not kill) e 6 (Thou shalt not commit adultery) de Krzysztof Kieślowski (1989, 57mn e 58mn, Polónia)
Uma apresentação da MK2 e da TVP.
Restauro em 2K a partir dos negativos com imagem originais da TVP na Polónia. A calibragem dos diferentes episódios supervisionada pelos directores de fotografia de cada episódio. Estreia brevemente nas salas de cinema francesas.

 

• Momotarô, Umi no shinpei (Momotaro, Sacred Sailors) de Mitsuyo Seo (1945, 1h14, Japão)
Uma apresentação do Shochiku Studio.
Restauro digital digitalizado em 4K, restauro imagem e projecção em 2K pela Shochiku Co., Ltd.


One-Eyed Jacks (Cinco Anos Depois) de Marlon Brando (1961, 2h21, Estados Unidos da América)
Uma apresentação de Universal Studios e da The Film Foundation.
Restaurado pela Universal Studios com a colaboração da The Film Foundation. Martin Scorsese e Steven Spielberg contribuíram pessoalmente para este restauro.

 

• Solyaris (Solaris) de Andreï Tarkovski (URSS, 1972, 2h47, Federação Russa)Uma apresentação do Mosfilm Cinema Concern.
Restauro digital imagem por imagem som e imagem a partir de uma digitalização 2K do negativo.

Produtora do restauro: Karen Shakhnazarov.

 

• Ugetsu monogatari (Contos da Lua Vaga) de Kenji Mizoguchi (1953, 1h37, Japão)
Apresentado pela The Film Foundation, pela KADOKAWA Corporation e pela Hollywood Foreign Press Association.
Restaurado pela The Film Foundation e pela KADOKAWA Corporation nos Cineric Laboratories. Agradecemos particularmente a Masahiro Miyajima e a Martin Scorsese pela consultoria prestada neste restauro. Restauro financiado pela Hollywood Foreign Press Association em associação com a The Film Foundation e a KADOKAWA Corporation.

 

• Dragées au poivre (Pepper Candy) de Jacques Baratier (1963, 1h34, França)
Uma apresentação do CNC e da Association Jacques Baratier. Restauro digital efectuado a partir da digitalização em 2K dos negativos 35mm. Restauro realizado pela Mikros Image.

 

• Valmont de Milos Forman (1989, 2h17, França)
Uma apresentação da Pathé.
Restauro realizado pela Pathé em 2016, executado em 4K pelo laboratório L’Immagine Ritrovata, com o apoio do CNC.

 

Passou uma Mulher de Jean Grémillon (1937, 1h34, França)
Apresentado pela TF1 Droits Audiovisuels com o apoio do CNC.

Restauro em 4K a partir do negativo original realizado na Hiventy.

 

Masculino Feminino by Jean-Luc Godard (1966, 1h50, France)

de Jean-Luc Godard (1966, 1h50, França)
Uma apresentação da Argos Films e da TAMASA.
Digitalização e restauro 2K a partir do negativo original pela Eclair, calibragem supervisionada pelo director de fotografia Willy Kurant. Restauro do som a partir do negativo sonoro pela L.E. Diapason. Estreia nas salas de cinema francesas. 

 

• Indochina de Régis Wargnier (1992, 2h32, França)
Uma apresentação do Studiocanal.
Digitalização a partir do negativo original e restauro imagem por imagem em 4k por L’Immagine Ritrovata.

 

• Adieu Bonaparte de Youssef Chahine (1984, 1h55, França/Egipto)
Uma apresentação da Cinemateca Francesa, da Misr International Films e da TF1 Droits Audiovisuels. Restauro da Misr International Films e da TF1 Droits Audiovisuels realizado pela Cinemateca Francesa com o apoio do CNC, do Fundo Cultural Franco-Americano (DGA-MPA-SACEM-WGAW), dos Arquivos Audiovisuais do Mónaco e da Associação Youssef Chahine. Trabalhos realizados a partir do negativo de imagem e dos magnéticos sonoros no laboratório Eclair e no estúdio L.E.Diapason.

 

• Pit and The Pendulum (O Fosso e o Pêndulo) de Roger Corman (1961, 1h20, Estados Unidos da América)
Uma apresentação dos MGM Studios/Park Circus.
Cópia 35mm destinada à preservação do filme realizada em conjunto pela Academy of Motion Picture Arts and Sciences e pelo produtor Jon Davison a partir do negativo original na Fotokem Los Angeles com a Mato DerAvanessian, sob a supervisão de Roger Corman. Restauro digital dos planos danificados reinseridos na película.

 

• Rendez-vous de juillet de Jacques Becker (1949, 1h39, França)
Restauro 2K apresentado pela Gaumont.
Trabalhos de imagem efectuados pela Eclair, som restaurado pela L.E. Diapason em parceria com a Eclair. Estreia brevemente nas salas de cinema e em DVD/Blu-ray.

 

 

EM SESSÃO ESPECIAL CANNES CLASSICS

 

• Terrore nello spazio (Planet of the Vampires) (de Mario Bava (1965, 1h30, Itália/Espanha)
Uma apresentação de Fulvio Lucisano, Nicolas Winding Refn e da CSC Cineteca Nazionale. Restauro em digital a partir do negativo original a cores 35mm Eastman Kodak pelo Italian International Film.
Calibragem corrigida por comparação com a colorimetria de um positivo de 35 mm emprestado pela Cineteca Nazionale sob a supervisão do assistente de realização Lamberto Bava. Digitalização, restauro digital e Digital Intermediate em película positiva de 35 mm de poliéster Kodak e tiragem das cópias de 35 mm efectuadas pela Fotocinema Rome em 2015. Estreia brevemente nas salas de cinema francesas.

 

• Tiempo de morir de Arturo Ripstein (1966, 1h30, México)
Uma apresentação da Alain Carradore e Sidonis Calysta
Uma selecção de Claudia Bollain y Goytia Alba e Michel Rocher.
O filme foi restaurado pela ALAMEDA FILMS, SA de C.V México, Daniel Birman Ripstein na LABOFILMS México sob a supervisão de Enrique Alagón, Adolfo Alagón, Gabriel Elvira e da LABODIGITAL México sob a supervisão de Charles Barthe.
O filme estreia brevemente nos cinemas franceses com a Tamasa distribution e em vídeo pela Sidonis Calysta.
 


Para mais informações, contacte cannesclassics@festival-cannes.fr

 

 

Facebook Twitter Imprimer